segunda-feira, 5 de abril de 2010

O vento sopra e eu não me movo

Nos últimos dias têm surgido notícias sobre os fãs dos Tokio Hotel que se encontram acampados no Pavilhão Atlântico. Essa decisão dos fãs da banda tem dado azo a várias atitudes: gozo, paródia, insultos e até ataques. Mas o que eu realmente queria dizer sobre este assunto, é que, também eu, tenho um sentimento em relação aquelas pessoas: inveja.

Eu gostava de estar, nem que fosse umas horas, ali a berrar e a amar tudo como eles estão. Entendam que eu não sou fã da banda e até acho que nunca ouvi uma música inteira dos Tokio Hotel. A minha inveja é daquele amor cego.

Sem problemas consigo afirmar que nunca vou sentir amor por alguém que não faz parte da minha vida de forma viva (e por viva, entenda-se comunicação mútua). Mas começo aos poucos a achar que mesmo de forma viva nunca irei amar. Ou pelo menos como os outros. Porquê que eu não berro? Porquê que eu não sofro por preocupação por alguém? Porquê que eu não penso primeiro noutra pessoa para além de mim?

Eu sou um pedra. Um pedra que nunca amou ninguém para além de si mesmo. Mas continuo a desejar ardentemente aquele "agir". Um agir natural, sem pensamentos.

Se alguém me diz que ainda tenho muito tempo para amar, o conselho (ou pena) está certo e errado. Tempo eu acredito que ainda tenha, mas será que o amor será o mesmo? Os dias passam e acho que a capacidade desaparece cada vez mais. Cada vez sinto menos algo a pulsar, e mais algo a pesar.

3 comentários:

Emanuel disse...

conheço uma pessoa que pensava exactamente como tu...e um ano depois apesar de ser na mesma descrente no amor, acredito que pelo menos a capacidade de amar ele mentalizou-se que tem...até aos 21 também não tinha "amado" nenhum rapaz...não sabia o que era aquele amor que devora, que nos leva a pensar sempre primeiro noutra pessoa...por isso jovem...espera;-) e não te magoes a ti mesmo.

Amor, amor amor amor, daquele que tu viste pela tv em relação aos tokio hotel, eu tenho pela GaGa e Madonna ;-)

Emanuel disse...

conheço uma pessoa que pensava exactamente como tu...e um ano depois apesar de ser na mesma descrente no amor, acredito que pelo menos a capacidade de amar ele mentalizou-se que tem...até aos 21 também não tinha "amado" nenhum rapaz...não sabia o que era aquele amor que devora, que nos leva a pensar sempre primeiro noutra pessoa...por isso jovem...espera;-) e não te magoes a ti mesmo.

Amor, amor amor amor, daquele que tu viste pela tv em relação aos tokio hotel, eu tenho pela GaGa e Madonna ;-)

Nelson Soares disse...

Uma pedra nunca escreveria algo assim...



Stay Well